Murilo Bernardo homenageia Sanny

Murilo Bernardo homenageia Sanny

SANNY JAPIASSU

 

                                             Murilo Bernardo

 

 

Ela ergueu-se intimorata e verdadeira,

Pelo fervor trepidante

De seu inconformismo natural e ,

Dos farrapos de anseios

Da categoria silenciosa, descontente,

Teceu a bandeira da renovação,

Com vibração classista, racional;

Propondo a taça numerosa

Do pacto solidário

Pelo amor do quanto no espaço e no tempo

O procurador é credor.

 

Disposta, envolvente, caminheira

Está indo de endereço a endereço

Simplesmente dizendo:

Chegou a hora de mudar !

Todo continuísmo é vicioso,

Egoístico, desigual.

É nuvem negra embaçando

O clarão renovador.

É a democracia abafada

Para sobrevivência da estátua.

 

Entendam bem, colegas !

A ASPAS é de todos,

Não pode ser de um só...

Deve ser:

Nosso canto

Nosso chão

Nosso recanto

Nosso trato

Nosso papo

Trincheira dos nossos direitos,

Centro de nossa fraternidade,

Culto de nossa paixão pela razão.

 

Vem conosco, colega procurador !

Vem, que as desatadas rosas da união

Florescerão entre nós.

Vem que não haverá divisão

Entre ativos e inativos,

Procuradores e meros procuradores,

Nem tão pouco, mandato crônico.

Haverá, somente e só,

O fermento do dever

Para com a classe procuradora

E a sagrada defesa do Estado.

 

Vamos juntos,

Vamos vencer !

 

O dia e a hora já sabemos.

Agora, façamos acontecer.